Economia circular

Falar de economia circular na construção é um grande desafio, que a Mapei abraçou e para o qual propõe sistemas e soluções inovadoras.

Aditivos para alcatrão

Circularidade e sustentabilidade no sector rodoviário: os aditivos Mapei ACF permitem uma reutilização completa das camadas de desgaste das estradas, que de outra forma seriam destinadas ao aterro, em novos conglomerados betuminosos, potenciando o forte impulso destes novos aditivos na economia circular.

Os aditivos MAPEI ACF-L1, ACF-L2 e ACF-L3 para confecionar novos conglomerados betuminosos permitem a reciclagem interna de grandes frações de alcatrão desgastado (RAP - Recycled Asphalt Pavement), reconstituindo a fração malténica perdida pelo betume oxidado envelhecido.

Fica claro o benefício ambiental que esses produtos trazem, evitando o aterro (peso ambiental muito elevado) desta fração de desgaste e devolvendo-lhe vida num novo conglomerado betuminoso. Medimos os benefícios ambientais decorrentes do uso do ACF, usando a metodologia LCA (Life Cycle Assessment)

Para dar um impulso maior ao nosso estudo, envolvemos também o Green Economy Network di Assolombarda em colaboração com o GEO (Green Economy Observatory) do IEFE (Universidade Bocconi), que naquele momento estava promovendo o projeto CERCA (Economia Circular como Recurso Competitivo para Empresas), com o objetivo de identificar e medir a abordagem da economia circular praticada pelas empresas.

Indoor-air-quality
Indoor-air-quality

Prémio Best Performer

da Economia Circular

A Mapei recebeu o prémio Best Performer para a Economia Circular 2019/2020 promovido pela Confindustria. A Mapei destacou-se na categoria “grande empresa fabricante” com um projeto que permite criar asfaltos com baixo impacto ambiental graças ao reaproveitamento de resíduos.

Com os aditivos MAPEI ACF-L1, ACF-L2 e ACF-L3, uma quantidade considerável de alcatrão desgastado é efetivamente reciclada para a criação de novos conglomerados betuminosos.

A utilização de menos matéria-prima virgem, a reduzida quantidade de alcatrão desgaste a eliminar e a menor quantidade de energia necessária para o aquecimento da mistura, tornam esta solução mais amiga do ambiente em relação às pavimentações betuminosas normais.

Acordo IREN-Mapei

A Mapei, um dos líderes mundiais nos produtos químicos para construção e a Iren, uma das mais importantes e dinâmicas multiutility do panorama italiano, assinaram um acordo que prevê a reutilização de polietileno e polipropileno, provenientes da recolha normal de resíduos, para a realização de pavimentações rodoviários mais duráveis e sustentáveis.

A Mapei iniciou o desenvolvimento de novos polímeros para a modificação de conglomerados betuminosos, com o objetivo de implementar uma tecnologia inovadora que permita aumentar significativamente a vida útil das pavimentações rodoviárias, utilizando polímeros reciclados derivados de uma cadeia de recuperação integrada.

A IREN detém, através da sua participada Iren Ambiente Spa, a quota de controlo da empresa I.Blu Srl, principal operador nacional no sector da triagem e reciclagem de resíduos de embalagens de plástica provenientes da recolha diferenciada.

Através da I.Blu, a IREN desenvolveu e patenteou um novo processo para a produção do polímero reciclado Blupolymer para ser utilizado na produção de conglomerados betuminosos (Polymer Modified Asphalt). O Blupolymer é utilizado há vários anos pelas empresas do Grupo MAPEI POLYGLASS SPA e POLYGLASS USA.

Indoor-air-quality
Indoor-air-quality

RE-CON ZERO EVO

Adicionado diretamente nas betoneiras, o RE-CON ZERO EVO é capaz de transformar, em poucos minutos de mistura, os resíduos de betão, que normalmente seria enviado como resíduo da obra/estaleiro para o aterro, em agregados granulares que podem ser totalmente recuperados e reciclados para produzir betão novo.

Graças ao RE-CON ZERO EVO é, portanto, possível evitar o recurso a aterros para a eliminação de resíduos de betão, limitar o transporte rodoviário, reduzir a necessidade de exploração de novos recursos naturais e reduzir o consumo de água para a mistura do betão e para a lavagem das betoneiras.

Do ponto de vista das emissões, o tratamento de um metro cúbico de resíduo de betão com RE-CON ZERO EVO permite uma poupança, em termos de emissões, de 97% (equivalente a cerca de 260 kg CO2eq) em comparação com o normal processo de eliminação em aterros do mesmo metro cúbico de betão.

Mantenha-se em contacto

Subscreva a nossa newsletter para receber notícias da Mapei